A Asfixia Democrática

Boa noite caros leitores!

 

Hoje venho falar sobre um tema que tem despertado alguma polémica (ainda não entendi porquê), que é o novo livro de José Saramago, Caim. Eu ainda não tive a oportunidade de o comprar nem ler, mas faço intenções de o fazer, para já porque gosto das obras do autor e depois este livro, ao que parece, é um livro com algum humor, o que me agrada.

 

Agora muitos de vós devem estar a pensar o que é que o título deste post tem a ver com o que já foi escrito e eu vou dar-vos já a resposta. Ao que parece este livro está envolto em grande polémica pois vem a falar de Caim, que segundo a Bíblia matou o seu irmão, Abel, a mando de Deus, e como já muitos de nós sabemos, José Saramago é ateu e como tal deu a sua opinião acerca da existência de Deus, o que causou uma enorme polémica entre os crentes, nomeadamente padres e indivíduos directamente ligados à igreja, mas na minha mais sincera opinião isto já era de esperar pois cada um defende os seus ideais, até aqui nada que me causasse grande estranheza, mas qual o meu espanto quando hoje fiquei a saber que já existem pessoas ligadas à política a criticar e a julgar o escritor. Estou a falar do eurodeputado do PSD, o senhor Mário David, ele veio dizer que queria que o escritor abdicasse já da sua nacionalidade, porque tem vergonha em ser seu compatriota e pergunta e passo a expressão "Ou julga que, a coberto da liberdade de expressão, se lhe aceitam todas as imbecilidades e impropérios?" Eu agora pergunto se aqui não existe um tentativa de asfixiar a democracia, uma frase tão usada na época de eleições pela líder do partido a que pertence. Então agora lá por não concordar com certas opiniões, sou obrigado a mudar de nacionalidade, de país e sabe-se lá mais o quê? Caro senhor Mário David, uma pessoa com o seu estatuto deveria pensar mais um pouquinho, eu acredito que seja um pouco difícil pois como eurodeputado tem muito em que pensar, antes de fazer as declarações que fez, a Inquisição já lá vai e ainda bem, porque senão não tenho a mínima dúvida que o senhor eurodeputado Mário David em vez de pedir que José Saramago abdicasse da sua nacionalidade, pediria que fosse queimado de seguida. É triste ainda assistir a coisas destas. Já agora que tal o senhor eurodeputado Mário David aplicar a sua expressão, já transcrita aqui, às suas declarações, pois essas foram sinónimos de uma imensa imbecilidade! 

 

Mais uma vez agradeço a todos vós que acompanham o meu blog!

 

Até breve!

tags:
sinto-me: Envergonhado
publicado por Quiosque Virtual às 19:44