Domingo , 26 de Setembro DE 2010

Informação

Boa noite caros leitores.

Após muita procura e insistência e boa vontade, é com todo o gosto que informo-vos que o Quiosque Virtual tornár-se-á num espaço mais plural e agradável, com a colaboração de um novo membro.

Esse membro é o Carlos, e ele também partilhará aqui as suas opiniões, gostos e ideias.

Este "up-grade" é pensado em vocês que nos acompanham, pois terão diversos pontos de vista neste espaço.

Se quiserem sugerir mais mudanças agradeço que o façam através do espaço dos comentários, estaremos à vossa inteira disposição.

Mais uma vez agradeço-vos por nos acompanharem.

Até breve. :)

publicado por Quiosque Virtual às 21:16

Novo bicho Papão

Boa noite caros leitores, hoje venho opinar sobre um tema simples mas que está a criar uma grande controvérsia, não, não me refiro ao Orçamento de Estado, mas sim à disciplina que começará a ser leccionada este ano lectivo, educação sexual.

Ora bem, mais uma tema para criar controvérsia, antes de esta "lei" sair a maioria dos pais defendiam que os seus filhos deveriam ter um melhor acompanhamento nas escolas acerca do tema, sexo. Eu coloquei lei entre aspas porque julgo que ensino não é uma lei, tudo que nos ensine, não deve ser visto como uma obrigação, e pelos vistos existem pais que podem comunicar aos estabelecimentos de ensino, que não querem que os seus filhos tenham essa aula.

Após ter feito este pequeno reparo voltemos a centrar-nos no tema deste post, a educação sexual na escola.

Eu muito sinceramente não entendo o porquê de tanta controvérsia acerca deste tema, é absolutamente normal, as pessoas falarem hoje de sexo, é algo que estará sempre presente na nossa vida, e quanto melhor informados estivermos, melhor é para nós. Será que esses pais mais conservadores, os que dizem que sexualidade é para ser falada em casa, vão estar tão à vontade com os filhos, como um profissional que está preparado para debater esse assunto, será que esses pais sabem tanto quanto um profissional? Eu julgo que não, mas também não posso falar do que não conheço. O que posso afirmar com bastantes certezas, não com absolutas certezas, mas com muitas, é que as crianças sentem-se muito mais à vontade a falar destes assuntos num ambiente com pessoas com dúvidas idênticas, na mesma faixa etária. Os pais desses jovens de certeza que falavam sobre sexualidade com os seus amigos, não iam recorrer muito aos pais, e quando recorriam os pais não sabiam responder a tudo e se calhar muitos remetiam uma resposta para mais tarde, porque ainda não tinham idade para saberem esses assuntos. Os jovens gostam de falar com jovens, é algo que as pessoas têm que entender, os jovens gostam de partilhar as suas experiências uns com os outros e não com os pais, ou esses pais pensam que os seus filhos, quando praticarem por exemplo um ménage à trois, ou praticarem sexo em lugares públicos, carros etc., vão logo contar aos pais? Eu julgo que não, eu não o faria, e espero que os meus filhos não o façam.

Esses pais devem aproveitar a ajuda que certos profissionais estão dispostos a dar e deixarem os seus filhos viverem a sexualidade sozinhos, quando eles acharem que devem recorrer a vocês, eles vão, agora não lhe imponham barreiras.

Mais uma vez agradeço a quem me acompanha.

Até breve :)

publicado por Quiosque Virtual às 20:36

mais sobre mim

pesquisar

 

Setembro 2010

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30

posts recentes

últ. comentários

mais comentados

arquivos

tags

links

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro